homem analisando graficos
Descubra como fazer uma análise SWOT da sua empresa
18 de agosto de 2017
indicadores brerp
BrERP conta com indicadores que ajudam na gestão e competitividade
24 de agosto de 2017

8 benefícios de adquirir o BrERP

benefícios brerp

Para começar, você sabe o que é um ERP? O ERP (Sistema Integrado de Gestão Empresarial) é um sistema de gestão responsável por cuidar de todas as operações diárias de uma empresa.

Em indústrias, o sistema ERP pode ser a peça chave para integrar diversos departamentos, como financeiro, produção e comercial.

Mudança Cultural na Empresa:

Para a adoção do sistema ERP, é exigida das indústrias uma mudança cultural. Para isso, é necessário o correto envolvimento dos usuários e o gerenciamento de mudanças. Estes pontos são considerados imprescindíveis para a implantação bem sucedida do sistema. Existem fases necessárias para implantação como: raios-X (práticas de negócios da empresa), desenvolvimento (configurado para as necessidades da empresa), teste (onde falhas e erros são detectados), treinamento (profissionais internos treinados), implantação (implantado em sua totalidade na indústria), e avaliação (cumprimento das necessidades técnicas).

Para entendermos melhor as vantagens reais do sistema ERP é preciso, antes de qualquer coisa, entender como este sistema funciona para que execute suas vantagens nas indústrias. Ele pode ser dividido em módulos que ajudam a compreender melhor sua estrutura e funções:

Módulo financeiro

– Responsável pelo setor financeiro da indústria, que pode ser subdividido em contas a receber, contas a pagar, corte de custos, entre outros.

Módulo Contábil

– Responsável pela contabilidade da empresa, subdividido em controle de caixa, controles bancários, emissão de livros contábeis e cálculos trabalhistas.

Módulo de Vendas

– Responsável pelo controle de vendas, representante de vendas, fluxo de vendas e regiões de venda da indústria.

Módulo de Compras

– Responsável por controlar entrada e saída de mercadorias da empresa.

Módulo de matérias

– Responsável pelo planejamento da necessidade de matérias-primas para funcionamento da indústria. Esse módulo realiza tarefas que englobam controle de estoque, gestão de materiais, controle de desperdício, prazos, entre outros.

Módulo “workflow”

– Responsável pela estrutura organizacional dentro da indústria, este modulo integra de forma eletrônica o fluxo de um documento dentro da empresa.

Quando os módulos funcionam interligados os benefícios para indústria podem levar a geração de lucros e também no retorno do investimento do sistema.

Os 8 principais benefícios de um sistema ERP para as indústrias:

1 – Redução de custos:

A redução de custos aliada ao funcionamento dinâmico do sistema é um dos benefícios mais almejados pelos gestores de indústrias quando o sistema ERP é implantado corretamente.

Ele previne perdas no processo produtivo e gastos desnecessários. A compra de matéria-prima é feita com base na avaliação média de consumo. O sistema permite saber o tempo gasto em cada processo produtivo e a necessidade de mão de obra, podendo assim cortar custos nesta fase.

É feito um controle minucioso no seu estoque e linha de produção, identificando perdas e possíveis melhorias com desperdícios.

Tendo uma visão de forma ampla de todos os processos da indústria, o gestor conseguira identificar falhas e alterar processos com facilidade.

Além disso, o sistema ERP pode executar automaticamente processos que eram feitos manualmente, reduzindo a mão de obra.

2 – Padronização dos processos:

Outra vantagem associada ao sistema ERP é a padronização dos processos e dados gerados pela indústria, garantindo a integração de seus setores e uniformidade dos dados, eliminando erros de sincronização entre sistemas e planilhas.

O sistema também pode ser implantado em todas as filiais, gerando a diminuição do tempo de fluxo de informação dentro da própria indústria.

Quando implantado é necessária uma reengenharia dos negócios. Com isso é possível obter padronização de dados dentro do sistema e o descarte de informações não funcionais.

De acordo com cada indústria é possível direcionar ou adaptar o ERP para outros objetivos. Com a capacidade de integração dos módulos, é possível diagnosticar as áreas mais e menos eficientes e focar em processos que possam ter o desempenho melhorado com a ajuda do conjunto de sistemas, padronizando os processos e priorizando o que mais necessita ser modificado.

Por ser um sistema integrado o ERP permite, através de processos, que um módulo visualize informações geradas em outros módulos. Além disso, ele não permite que um mesmo registro seja gravado em diferentes partes do sistema.

São possíveis também implantar sistemas de qualidade de produção e se adequar as normas do ISO.

3 – Redução do ciclo de vendas:

O sistema ERP permite a integração do setor comercial integrado ao financeiro e estoque.

Ele permite através de sua integração controle de orçamentos, relatórios de propostas, controle de estoque, atualização de planilhas financeiras, e o “lead time” de produção e entrega. De modo mais eficiente, as indústrias conseguem repassar suas requisições aos fornecedores de matéria prima compreendendo sua capacidade de produtividade e reduzindo o tempo de atendimento aos seus clientes.

Um exemplo de como esse módulo pode ser eficaz é quando um orçamento é lançado manualmente, mas não é verificado (houve confirmação de recebimento ou retorno?).

O sistema também filtra informações mais abrangentes e refinadas, tais como: Qual produto mais vendido? Quem é o melhor cliente da empresa? Qual época do ano determinado produto é mais vendido?

Desta forma atende-se maiores demandas, melhorando a qualidade de atendimento ao cliente, tudo com base em informações importantes sobre o cenário atual do mercado. Cria-se uma vantagem competitiva e, deste modo, a indústria pode proporcionar serviços adicionais que não são oferecidos por seus concorrentes.

4 – Redução de erros e segurança de dados:

A gestão do sistema ERP deixa a empresa menos propicia a erros e mais segura.

O principal problema em processos manuais dá-se no preenchimento de planilhas que, por ser repetitivo, acaba gerando erros de dados e perda de informações necessárias para o bom funcionamento da indústria.

Na segurança de dados, o sistema ERP traz mais tranquilidade para a indústria.

Os dados ficam salvos em servidores robustos e com backups, evitando a perda de informações caso os computadores tenham algum problema, ou o escritório passe por perda de documentos físicos.

5 – Perspectivas ao longo do tempo:

Se a demanda diminui e a produção continua a todo o vapor, o sistema informara qual a perspectiva do cenário interno da empresa e a futura saúde financeira, se uma nova direção não for tomada.

Com essa modalidade, o gestor consegue direcionar seu planejamento estratégico de acordo com suas expectativas e perspectivas dadas pelo sistema.

6 – Controle do ciclo produtivo:

O sistema abrange: vendas encadeando a emissão de NF, o romaneio para separação do produto e expedição, baixa no estoque, verificação de estoque mínimo, geração de ordem de compra, atualização do sistema financeiro para controlar os gastos e recebimentos, etc. Isso permite controlar gastos de acordo com a receita da indústria, planejar as tarefas, controlar o cronograma e assim por diante.

Dentro desse ciclo produtivo, a indústria obtém relatórios das quantidades produzidas em outros meses e porcentagens de crescimento, que dão perspectivas para aumento ou redução de produção nos meses posteriores, mantendo ou readequando o estoque, produzindo apenas o necessário para atender aos pedidos existentes.

Além disso, quando a indústria passa por crises é através dessa modalidade que a empresa faz uma análise de produção necessária de acordo com a demanda do mercado, reduzindo a carga horária de trabalho e até mesmo dispensando mão de obra não mais necessária à empresa.

7 – Reduz o uso de interfaces manuais:

Os processos de ordem de serviços e serviços internos passam a ser realizados de modo digital, sem a necessidade de uso de papel. Isso evita futuros erros manuais de operações e atrasos na indústria.

8 – Obsolescência tecnológica:

Para que o investimento não seja perdido, o software precisa ser atualizado constantemente para acompanhar a evolução tecnológica.

Este ponto é uma das qualidades do sistema pois a empresa mantém seu investimento válido a longo prazo.

Para o funcionamento correto do sistema é necessário que a indústria obtenha treinamento aos seus funcionários. É necessário que a equipe alimente corretamente o sistema ERP e avalie estrategicamente quais as reais necessidades da indústria.

As informações precisas e confiáveis e os mecanismos que auxiliam os profissionais a melhor estudar as informações são de fundamental importância. Quanto mais ágeis, democratizadas e sem barreiras de distancias, melhor será a gestão da informação que permitirá a indústria perceber as oportunidades e ameaças a suas operações detectando problemas e tendências, informações sobre clientes e mercadorias.

Existem diversos tipos de sistemas ERP disponíveis no mercado. Deve-se realizar uma análise na hora da contratação do sistema, se o mesmo possui todos os requisitos e consultoria necessária para que funcione corretamente dentro da indústria, sem que o gestor precise futuramente mudar de fornecedor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *