Por que você deve fazer a gestão de estoque com um bom ERP?
6 de março de 2019

Migração de ERP: por que você deve fazer?

Chegou o momento de fazer a migração de ERP na sua empresa?

Isso significa que a solução atual não está atendendo da forma como deveria, certo?

Bom, o importante é perceber as falhas e buscar por uma alternativa que de fato melhore os processos, reduza os custos e facilite a sua tomada de decisão.

Nesse artigo, você vai saber exatamente como deve ser feita a migração de ERP e a importância de realizá-la para promover tarefas mais ágeis, inteligentes e assertivas.

Acompanhe a leitura e aproveite as informações!

Por que fazer a migração de ERP?

Você deve fazer a migração de ERP por um simples motivo: o atual não está atendendo da forma como deveria.

E isso pode acontecer por diversos fatores, como o crescimento da empresa, que agora requer uma solução mais robusta, ou até mesmo porque identificou que aquela que contratou realmente não é a melhor opção.

E isso é muito comum, afinal, um empresário ou um líder não precisam ser especialistas no assunto e conhecer a fundo as soluções.

De qualquer forma, no momento em que você percebe que os processos poderiam ficar mais estruturados e inteligentes, significa que está na hora de trocar o sistema atual por um mais assertivo.

Como fazer a migração de ERP?

O fornecedor precisará realizar algumas ações específicas para garantir o sucesso da migração de ERP.

Confira as etapas essenciais:

1 – Mapeamento dos processos

Somente com o mapeamento de todos os processos é possível entender exatamente a sua necessidade e elaborar uma estrutura que suporte da melhor forma possível as demandas e toda a estratégia do negócio.

Caso a empresa já tenha tudo mapeado, a implantação será mais simples.

Porém, se a contratada identificar uma necessidade de refazer o mapeamento ou então de realizar mudanças, ela deverá dar sugestões para que o sistema de fato otimize as tarefas e torne o trabalho ainda mais eficiente.

2 – Definição das funcionalidades

Uma vez mapeados os processos, é chegado o momento de definir as funcionalidades e os módulos do sistema.

Eles devem atender as necessidades e expectativas da empresa, ao ponto de estruturarem e facilitarem as demandas e levarem o dono ou o líder a uma tomada de decisão mais estratégica.

3 – Preparar e treinar a equipe

A equipe precisa ser treinada para utilizar o sistema adequadamente, além de participar da sua fase de testes.

Mas antes, é essencial que mostre as vantagens do programa para a empresa e também para as pessoas.

Explique que a ideia é tornar os processos mais robustos e as tarefas mais simples, ao ponto, inclusive, dos colaboradores terem a chance de se dedicarem a projetos mais estratégicos para os resultados.

Essa postura evitará as eventuais resistências e preocupações que acabam por impactar na produtividade dos funcionários.

Vai custar mais caro?

Uma das grandes vantagens do ERP é a redução de custo que ele é capaz de proporcionar.

Se o sistema for de fato inteligente e eficiente, pode ter certeza de que ele eliminará processos burocráticos e mostrará erros e despesas desnecessárias.

Portanto, pode até ser que o programa que pretende adquirir seja mais caro do que o que utilizava anteriormente, mas se ele for tornar as tarefas mais inteligentes, então certamente você fará uma bela de uma economia, inclusive muito maior do que o preço que pagará por ele.

Por isso, a nossa dica é: pense no custo-benefício do que está adquirindo e não apenas no custo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *